XIII Jornada de Educação de Naviraí: contribuições do legado de Paulo Freire para a Educação no século XXI

Data: 16 a 19 de novembro 

20 horas

Dra. Ana Carolina Faustino

 

Dra. Cleia Renata Teixeira de Souza

 

Profª Drª Erika Natacha Fernandes de Andrade

  

 

GRUPO DE ESTUDO E PESQUISA EM DESENVOLVIMENTO,

GÊNERO E EDUCAÇÃO (GEPDGE)

Acadêmicos e egressos do curso de Pedagogia da UFMS e demais instituições do município e região, profissionais da educação infantil, anos iniciais, Educação de Jovens e Adultos das redes municipal e estadual, bem como pesquisadores em nível de graduação na UFMS e pós-graduação das regiões Centro Oeste e Sul do país, sobretudo de universidades como UFMS, Câmpus de Ponta Porã, UFGD, UEMS, UNIGRAM, UEM, UNIOESTE etc.

Promover reflexões e debates acerca das contribuições do legado de Paulo Freire para formação docente, práticas educativas no ambiente formal e não formal, assim como discussões de processos educativos por meio de pesquisas buscando ressignificação do papel da escola, frente as novas demandas do século XXI.

Discutir sobre o papel da escola e do professor diante das possibilidades da educação;
Contribuir para formação inicial e continuada de acadêmicos, profissionais da educação e áreas afins;
Fomentar a parceria e a troca de conhecimentos entre universidades, pesquisadores da área da educação e professores da educação básica;
Socializar práticas educativas que contemplem as diferentes possibilidades de conhecimento teórico-científico e teórico-prático de aprendizagem;
Socializar práticas na educação que utilizem a produção de conhecimento por meio de pesquisas.

Desde a implantação da UFMS/CPNV, em 2009, a Jornada Nacional de Educação de Naviraí vem sendo realizada e contempla temas relevantes para a educação. Em 2021, ano em que será realizada a XIII Jornada Nacional de Educação de Naviraí, a temática escolhida é contribuições do legado de Paulo Freire para a Educação no século XXI . Esta temática se torna cada vez mais relevante, especialmente neste ano em que se completa o centenário de Paulo Freire, trazendo assim a necessidade de revistar suas obras e reinvitar a epistemologia freiriana.
Desde a sua infância, primeiramente em Recife e depois em Jabotão, o menino Paulo Reglus Neves Freire aprendia o diálogo que, mais tarde, o educador brasileiro Paulo Freire desenvolveria e ensinaria. A escuta cuidadosa e aberta, o amor e o respeito ao outro e às diferentes opiniões, a tolerância e a liberdade de questionar, de discordar e de perguntar são aspectos do diálogo que ele aprendeu com sua família e que constituiriam também o conceito desenvolvido por ele posteriormente. O conceito de diálogo foi desenvolvido por Freire no âmbito de uma educação libertadora e problematizadora que objetiva a humanização e a construção de um mundo mais justo. Assim, tal perspectiva de educação está intrinsecamente relacionada com a concepção 42 de ser humano. Este é concebido como ser histórico que se sabe no mundo e com o mundo, pois é o único ser vivo capaz de refletir sobre sua presença nele. Neste sentido, ele é capaz de admirá-lo, de se distanciar dele para conhecê-lo e ainda é capaz de intervir, de transformá-lo e de refletir sobre esse processo (FAUSTINO, 2018)

A epistemologia freiriana vem sendo reinventada em diferentes contextos, podendo eles se constituirem em escolar ou não escolar. A educação formal é que acontece nesse espaço institucional que conhecemos como a escola e/ou universidade, mas também vivenciamos outros tipos de educação que se realiza fora dos sistemas educacionais convencionais. Nesse sentido o evento procura discutir a formação docente e a prática educativa em espaços de educação escolar e não- escolar. Pretende-se assim possibilitar um amplo debate com perspectiva teórico-científica dialogando com a perspectiva teórico-prática, mediando os conhecimentos de diferentes temas e possibilidades de pesquisa na educação. O documento Anuário Brasileiro da Educação Básica 2020 (CRUZ, MONTEIRO, 2020) indica que embora 85,3% dos professores possuem escolaridade de nível superior, em 2019, o Brasil ainda tem grandes desafios no campo da formação docente. Acreditamos que somente avançaremos na construção de uma qualidade adequada aos tempos atuais se questionarmos essa lógica. Nesta direção, XIII edição da Jornada Nacional de Educação busca promover reflexões e debates acerca das contribuições do legado de Paulo Freire e dos impactos na formação docente, as práticas educativas e de pesquisa, bem como a necessidade de ressignificação do papel da escola, frente às novas demandas do século XXI. Tem como público-alvo: acadêmicos e egressos do curso de Pedagogia da UFMS e demais instituições do município e região, profissionais da educação infantil, anos iniciais, Educação de Jovens e Adultos das redes municipal e estadual, bem como pesquisadores em nível de graduação na UFMS e pós-graduação das regiões Centro Oeste e Sul do país, sobretudo de universidades como UFMS, Câmpus de Ponta Porã, UFGD, UEMS, UNIGRAM, UEM, UNIOESTE etc. Será realizada no período de 16 a 19 de novembro de 2021 e será composta de seis apresentações culturais e cinco mesas redondas coordenadas por professores do Câmpus, e será totalmente realizado pelo ambiente virtual devido o momento em que vivenciamos o período de Pandemia. O evento contará com a presença de pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior do Brasil e abordando temas como:
1 : “Paulo Freire: da necessidade de indignação e esperança”
2: Paulo Freire e Educação Matemática
3: Cartas de Paulo Freire: esperança, humanização e democracia
4: Pedagogia da Tolerância e Inclusão
5: Educar com a mídia: perspectivas e possibilidades

Últimas notícias
Ver mais notícias [+]